Imagem de Topo
Conta Satélite do Desporto
05-04-2016

O IPDJ celebrou em 2014 um protocolo com o Instituto Nacional de Estatística para a criação da Conta Satélite do Desporto.

No decorrer do projeto, o IPDJ reuniu-se com as federações e outras organizações desportivas privadas e públicas com quem debateu aspetos relacionados com a economia do desporto nacional e os desenvolvimentos estatísticos e económicos a nível europeu e a quem solicitou informação adicional para a criação da CSD.

Assim, de acordo com os dados publicados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE):

  • As 25.000 entidades que foram classificadas como fazendo parte do setor do desporto produziram cerca de 1,8 mil milhões de euros por ano entre 2010 e 2012.
  • Este valor representa 1,2% do Valor Acrescentado Bruto (VAB) da economia nacional.

Quem faz parte deste mundo desportivo com impacto na economia
O documento permite aferir quem faz parte deste mundo desportivo com impacto na economia:

  • A maior parte das empresas está integrada na categoria "clubes desportivos e clubes de praticantes". São 12,5 mil entre as 25 mil entidades identificadas pelo INE.
  • Porém, não são as que geram mais riqueza,apenas 5,7% do total.
  • Em relação às sociedades desportivas (as SAD) são apenas 24, mas representam 8,8% do VAB do desporto.

Quem mais contribui para a produção e criação de emprego
Para além destas, existem outros tipos de entidades mais relevantes para a produção e o emprego:

  •  As entidades da Administração Pública relacionadas com desporto, por exemplo, são apenas 68, mas geram 430 milhões de euros por ano (um quarto do VAB do desporto);
  • As mesmas empregam 12,3 mil pessoas. 

Quem representa mais riqueza do setor
Outra parte importante destes dados refere-se a  "entidades relacionadas com o desporto" que representam mais de metade da riqueza do setor e mais de metade do emprego. Estão aqui incluídas empresas que produzem bens e serviços desportivos.

Remunerações no mundo do desporto
Quanto a remunerações, pode concluir-se que:

  • Quem trabalha no desporto ganha, em média, mais 5,2% do que a população portuguesa. 
  • Contudo, caso fossem excluídas as SAD, estas remunerações per capita seriam 6% mais baixas do que a média nacional.
  • As SAD têm salários médios equivalentes a 777,4% da média portuguesa.

Estes são alguns dos dados que relevam das conclusões do documento. É possível agora a todos os agentes e parceiros desportivos analisarem os resultados do projeto conjunto do IPDJ e do INE.

Aceda aqui a toda a informação sobre a Conta Satélite do Desporto